MUDANÇAS NO SISTEMA

Nesta página, estão alocadas as alterações implementadas na estrutura basilar da VisoGrafia, por datas. As mudanças a seguir, foram amplamente discutidas com usuários da Libras que conhecem a escrita de sinais VisoGrafia. Cada alteração implementada, passa a valer após a data de sua plubicação. 

As alterações foram propostas em um grupo em rede social, constituído por quatro membros, sendo eles, o pesquisador/proponente da VisoGrafia juntamente com outros três profissionais e acadêmicos fluentes em Libras, que debateram e convencionaram cada mudança implementada. 

Algumas mudanças foram sugestões dos alunos dos cursos de Licenciatura em Letras Libras, nos quais a VisoGrafia foi aplicada, sendo estes dois: um curso semi-presencial e outro presencial. No curso presencial, a turma era composta por alunos visuais (surdos) e ouvintes. Já no presencial, os alunos eram todos ouvintes. As principais mudanças implementadas na VisoGrafia com a colaboração desses alunos, foram nos visografemas de movimento. 

Alterações implementadas em 28 de abril de 2017

ORIENTAÇÃO DE PALMA

No intuito de tornar os visografemas que representam as orientações de palma coerentes, propusemos e discutimos as mudanças que ora se efetiva. Assim, a partir de agora, usar-se-á os visografemas escritos nas células "Atual" da tabela abaixo, para escrever as orientações de palma em questão. 

A diferenciação entre a orientação de palma e a locação que utilizará os mesmos visografemas a partir de agora, dar-se-á por meio da utilização dos visografemas de configuração de dedo, para a escrita da orientação de palma e do asterisco que indica contato para a escrita da locação.

Mudança nos visografemas de orientação de palma para frente e para trás. A célula "Anterior" da tabela, mostra o visografema antigo e a "Atual" o novo. Sinais escritos: NOME e COMEÇAR. 

LOCAÇÃO

Em consequência da mudança dos visografemas de orientação de palma para frente e para trás, o visografema de locação dorso da mão também foi alterado. A partir de agora utilizar-se-á o seguinte visografema para escrever estas locações: 

Mudança no visografema de locação dorso. A célula "Anterior" da tabela, mostra o visografema antigo e a "Atual" o novo. Sinal escrito: CURSO. 

ORIENTAÇÃO DE PONTA DE DEDO

A mudança nos visografemas de orientação de palma, causou ainda outras consequências. Em virtude dessa mudança, os diacríticos utilizados para escrever as orientações de ponta de dedo também mudaram, tornando o processo de grafia, mais simples. 

Mudança  nos diacríticos de orientação de ponta de dedo. A célula "Anterior" da tabela mostra o antigo e a "Atual" mostra o novo. Sinais escritos SEMPRE e EU, respectivamente. 

Alterações implementadas em 29 de abril de 2017


LOCAÇÃO DO PESCOÇO E DA PERNA

Para tornar o visografema de locação do pescoço mais fidedigno, implementamos uma inversão na forma como o utilizávamos anteriormente. A mudança implementada, permite-nos invertIe-lo e usá-lo como representação da locação perna. Com isso, o visografema utilizado para escrever as locações pescoço e perna, passa a ser um único visografema. O que distiguirá ambos é a sua inversão no momento da escrita, conforme pode ser notar nas figuras abaixo.

Mudança no visografema do pescoço. Sinal escrito: SUJO.

Mudança no visografema das pernas. Sinal escrito: CULPA.

MOVIMENTOS CIRCULARES

Após experimentações com usuários da VisoGrafia, alteramos os visografemas de movimentos circulares. Todos a partir desta data, passam a ser escritos com seta que indica a direção do movimento. Assim, considerar-se-á a cabeça de seta ">" como diacrítico representante de direção dos movimentos circulares, conforme exemplifica imagem abaixo. 

Movimentos circulares em espiral, continuam a ser escritos combinados com um visografema de direção sobrescrito. 

Mudança nos visografemas de movimentos circulares. Sinais escritos: BRINCAR, CONVERSAR e UNIVERSIDADE.

Alterações implementadas em 04 de maio de 2017



MOVIMENTOS DE DEDOS

Em virtude das amplas discursões e da aplicação da VisoGrafia no processo de ensino-aprendizagem, implementamos uma série de mudanças no sentido de ampliar a dinamicidade do processo de grafia, bem como, facilitar o processo de leitura da escrita de sinais. Abaixo estão dispostos os visografemas usados para representar os movimentos de dedos da seguinte forma: anterior no cor preta e atual na cor azul, que passa a valer a partir desta data.

Mudança no visografemas de movimento de dedo. Sinais escritos: ASCENDER A LUZ; APAGAR A LUZ; BRASIL e TEMA.

OUTRAS MUDANÇAS

Em consequência a mudança nos visografemos de abrir a mão e fechar, os dicríticos utilizados para mudam. Passa a ser usados para representar o abrir e o fechar dos olhos os novos visografemas de abrir e fechar a mão. Em nossas discussões, decidimos em virtude da utilização do diacrítico de movimento repetido igual (:) ou de forma alternada (..), eliminar o visografema de movimento para frente e para trás, pois ao escrever o referido diacrítico junto ao visografema de abrir ou de fechar a mão, ao se repetir o movimento, a mão consequentemente se abrirá e fechará.

Mudança na utilização dos diacríticos de abrir e de fechar os olhos e exclusão do visografema de abrir e fechar a mão.

Para escrever sinal ou classificador em que as duas mãos se abram e se fechem alternadamente (luzes piscando alternadamente), passa a valer a seguinte regra grafotática: escrever-se-á o movimento inicial (abrir ou fechar), na sequência, o diacrítico de repetição de movimento alternada (..) e por fim, escrever-se-á o movimento final (abrir ou fechar).   

MOVIMENTO DE BRAÇO

No curso de extensão de VisoGrafia, oferecido pelo Instituto de Educação do Universidade Federal de Mato Grosso, convecionamos o uso dos visografemas de movimento para frente e de movimento para trás, e ainda, um terceiro que representava os movimentos para frente e para trás. 

Visografemas de movimento de braço para frente e para trás da ELiS e da VisoGrafia.

O visografema foi constituído partindo do princípio usado na ELiS de um traço horizontal representando o corpo e outro vertical representando o percurso que o braço realiza ao se afastar do corpo. O visografema de movimento para trás, é o mesmo visografema de movimento para frente, mas de maneira inversa. 

Após discussões, chegamos a conclusão de que o visografema de movimento de braço para frente estava bem representado pelo visografema criado com base no utilizado pela ELiS com a adição da cabeça de seta para indicar direção. No entanto, o de movimento para trás não representava fidedignamente o movimento. Assim sendo, testamos e implementamos outro visografema.

Mudança no visografema de movimento de braço para trás.

Mudança no visografema de movimento para trás. Sinal escrito: VIR.

Para escrever sinais em que o braço se movimente para frente e para trás, escrever-se-á o visografema de movimento (para frente ou para trás), seguido do diacrítico de movimento repetido igual. No caso de sinal bimanual com movimento alternado, escrever-se-á o visografema de movimento para frente, seguindo do diacrítico de repetição alternado e por último, o visografema de movimento para trás. 

Mudança na estrutura da escrita do movimento para frente e para trás.

Alterações implementadas em 10 de maio de 2017

MOVIMENTO DE PUNHO E DO ANTEBRAÇO

As últimas alterações nos visografemas, corresponde aos relativos aos movimentos de punho e do antebraço. No todo, quatro visografemas foram modificados. Essas alterações foram implementadas para tornar os visografemas mais fidedignos aos movimentos que representam.

Mudança nos visografemas de movimento de punho e do antebraço.

Assim, a partir desta data, passam a valer os novos visografemas expostos na imagem acima. Abaixo, estão exibidos a aplicação dos novos visografemas, para a escrita dos movimentos de articulação do punho, rotação do punho articulado em 180º, rotação do punho em 360º e de rotação do antebraço em 180º.

Mudança nos visografemas de movimento de punho e do antebraço. Sinais escritos: SIM, PRECISAR, SINAL, GRAMÁTICA. 

Convencionou-se a exclusão dos visografemas de locação do alto da cabeça (figura 1) e embaixo do queixo (figura 2). Para representa-los a partir da exclusão, criou-se os diacríticos do alto da cabeça (figura 3) e embaixo do queijo (figura 4), que se utilizam do visografema de locação da cabeça da seguinte forma: alto da cabeça (figura 5) e embaixo do queixo (figura 06). 

Novos diacríticos de alto da cabeça e embaixo do queixo.

Alterações implementadas em 11 de maio de 2017

ESCRITA DE SINALEMA COMPOSTO E DIVISÍVEL

Um dos pontos mais polêmicos em nossas discussões sobre a forma da escrita, certamente, está relacionado aos vários tipos de sinais compostos. Como na ELiS, admitimos o símbolo que congrega três pontos em forma de pirâmide. Após nossas dicussões, deliberamos pela exclusão deste símbolo, passando, esses tipos de sinais, a serem escritos da maneira abaixo. 

Mudança na estrutura da escrita dos sinais compostos. Sinais escritos: ACREDITAR, ATIVIDADE, PÓS-GRADUAÇÃO, SALA. 

Quanto a escrita dos sinais compostos SEMINÁRIO e FAMÍLIA (os mais polêmicos em relação à sua forma de escrita), deliberamos e convencionamos que sua escrita se comportaria da forma como se apresenta na imagem. A todos os sinais desse tipo (DEPARTAMENTO, REUNIÃO, CONGREGAÇÃO, entre outros), será aplicado o mesmo princípio.

Mudança na estrutura da escrita do sinal composto SEMINÁRIO e FAMÍLIA. 

Para identificar se o sinal é ou não composto, deve-se observar os seguintes critérios: 1) composição morfológica do sinal. Ex.: ESCOLA; 2) mudança de configuração de mão, após uma pausa na execução. EX.: TODO MUNDO; 3) mudança na locação após uma pausa na execução. EX.: SAÚDE; 4) mudança na direção do movimento. Ex.: MESA.  

Exemplos da forma de escrita de sinais compostos.

ESCRITA DO SINAL EU E DEDOS NA ORIENTAÇÃO DE PALMA PARA DISTAL

As últimas alterações implementadas na estrutura de sinais, corresponde ao escrita do sinal EU, em relação ao posicionamento da escrita da mão na locação. Também alteramos a estrutura da escrita dos dedos na orientação da palma da mão para distal com orientação das pontas dos dedos para trás, conforme figura abaixo. 

Mudança na escrita do sinal EU e na escrita dos dedos em relação a orientação da palma distal.

Outras alterações


A partir da aplicação da VisoGrafia no curso de escrita de sinais no Laboratório de Aprendizagem Avançada (LAA), projeto coordenado pela professora Sebastiana Almeida Souza, novas mudanças foram implementadas no sistema. São elas:

1) mudança na forma de orientação. Anteriormente, a VisoGrafia era escrita apenas do ponto de vista de um sinalizador/escritor destro (figura 01). A partir da convenção, a escrita poderá ser orientado levando em consideração a mão dominante esquerda. No caso do texto escrito por um sinalizador/escritor canhoto, segundo sua percepção dos sinais, o mesmo deverá ter uma nota esclarecendo que trata-se de um texto em que a mão dominante é a esquerda (figura 02);

2) o sinalema TER passou a ser escrito de forma diferente. Ao invés de escrever o sinalema indicando o contato do polegar (figura 1), passou-se a escrever com a indicação apenas do ponto de articulação (peito) (figura 2). 

3) em virtude da mudança anterior, convencionamos que a escrita do polegar em todos os sinalemas seria na base do visografema de orientação de palma, e não no meio como até então era realizado. 

4) em virtude da mudança na escrita do sinalema TER, também mudou-se a forma de escrever o polegar nas orientações de palma medial (figura 1) e distal (figura 2). Passou-se a escrever o polegar na orientação de palma medial, na face medial do visografema (figura 3), e na orientação distal, passou-se a escrever na face distal do visografema (figura 4).

5) mudou-se a forma da escrita do sinalema EU. Anteriormente, escrevia-se (figura 1), de forma que os cursista afirmaram que podia ser lido como sendo a locação no abdômen. Para resolver a questão, resolvermos escrever o sinalema da maneira expressa na figura 02. 

06) sinalemas executados no espaço neutro nos quais exista seccionamento no deslocamento da mão/braço, deve se  escrito com traços embaixo do movimento para representar a secção no deslocamento

07) criou-se um diacrítico para para representar expressões de dúvida. O mesmo pode ser utilizado em sinalemas, tais como, o pronome interrogarivo QUAL?.

08) em virtude da adoção da VisoGrafia pelas Revistas Diálogos e Falange Miúda para grafar a tradução para Libras dos resumos dos artigos aprovados para publicação, a partir do segundo número de 2017, criou-se os visografemas de movimento para frente e para trás (figura 1) e de abrir e fechar os dedos (figura 2).